Sempre Jufem – Cássia – Londrina/PR

Olá, eu sou a Cássia, tenho 30 anos, sou casada, tenho uma filha e sou da cidade de Londrina. Fui convidada a inaugurar essa coluna, dizendo um pouco da minha experiência sobre o que é/foi ser JUFEM para a minha vida. E na verdade me arrisco a dizer que ser Jufem é ser vida.
Meu contato com Schoenstatt começou logo cedo, já que tenho uma tia que é irmã de Maria, e pelo fato de ter iniciado e permanecido muitos anos estudando no colégio Mãe de Deus. Porém foi em 1995 que participei do primeiro encontro de Apóstolas Luzentes de Maria que passei a participar oficialmente da obra da família de Schoenstatt. Em 1999, nosso grupo passou a participar da Juventude Feminina, descobrimos o nome do grupo, que era “Speculum Mariae”, que significa espelho de Maria, e esse nome norteou e ainda norteia a minha vida, como mulher, esposa, mãe…
Ser um espelho de Maria ou ser um Lírio do Pai, é colocar em ações os planos do Pai para a nossa vida, aceitar cada desafio, cada dificuldade como uma oportunidade de crescer e realizar aquilo que agrada a Deus.
Em 19/05/2001 selamos nossa Aliança de Amor, e com ela o compromisso de cumprir com as exigências que vem no “pacote”, na certeza de que as promessas que Ela nos faz, certamente serão cumpridas, e, esse compromisso que firmei em 2001, me acompanhará por toda a vida, pois a nossa Aliança é eterna.
Assim, desde que ingressei no ramo da Jufem, cada nova fase da minha vida, exigiu algo do ser a pequena Maria, como resposta aos desafios que o mundo nos lança. Lembro bem de quando firmamos o compromisso dos “10 PONTINHOS” todas conhecem? Ou este é um tema muito antigo? Haha **
Mas esses pontinhos eram uma resposta muito prática à massificação, nos tempos de escola e principalmente na faculdade onde “tudo é permitido”. Não era preciso beber, me vestir, agir como todo mundo para que eu aproveitasse os momentos. Eu aproveitei sim muito o tempo do colégio, da faculdade, participei de festas, churrascos (embora nunca tenha sido muito baladeira), mas não lembro de ter saído de qualquer festa com o sentimento de culpa por ter feito algo que não condizia com meu estilo de vida.
Já formada vieram os desafios profissionais, no namoro, no casamento também surgiram inúmeras situações em que me questionei sobre qual seria a atitude de Maria naquele momento, e, principalmente desde a chegada da Manuela essa pergunta se faz constante, pois agora além de ser uma resposta para o mundo, eu sou uma referência para a minha filha, minhas atitudes irão refletir nela. Então por isso que uma vez Jufem, eternamente Jufem.
Atualmente pertencemos ao grupo Santuário Vivo, da liga das Famílias, selamos nossa Aliança de Amor como família dia 07/12/2014 e participamos também da Academia de Pedagogia Familiar.
Pertencer a juventude feminina fez toda a diferença na minha vida, contribuiu muito para o meu desenvolvimento pessoal, para eu buscar ser a melhor em tudo o que eu faço, mesmo sabendo das minhas limitações e que eu vou errar muitas vezes.
Obrigada Jufem!!

** A Jufem na época, em comemoração dos 60 anos no Brasil, realizou um grande encontro em Londrina. Na oportunidade decidiu-se por eleger 10 pontos concretos para Jufem viver o ideal. Esses pontos foram escolhidos pelas próprias jovens. Em um momento do encontro as jovens que quiseram puderam se comprometer livremente com os propósitos escolhidos, assinando este compromisso . Os pontos foram:

  1. Não ficar
  2. Refletir o interior no exterior
  3. Viver o ideal da Jufem (“Lírio do Pai, Tabor para o mundo!”)
  4. Diálogo e respeito no namoro
  5. Selecionar o que vê e ouve
  6. Ser reflexo da Mãe de Deus em casa
  7. Comportamento digno na missa
  8. Ser pequena Maria: compromisso com a Aliança de Amor
  9. Pensar antes de falar
  10. Modernizar sem mecanizar (internet..etc)
Speculum Mariae

Grupo Speculum Mariae

Cássia e família

Cássia e família

3 Comentários em "Sempre Jufem – Cássia – Londrina/PR"

  1. Zuleica Niederauer Leote | 15 de abril de 2015 at 22:29 | Responder

    “Nos cum prole pia…” Também fui JUFEM. Em Santa Maria. Quando iniciei tinha apenas 15 anos. Casei aos 26 e mudei para Porto Alegre. Hoje estou com 57, quase 58…moro em Esteio…temos um Santuáio Lar e três filhos….muita história pra contar. Que nossa Mãe continue a educar a juventude! Abraços. Zuleica

    • Zuleica, que bom poder conhecer um pouco de sua história!! Nessa celebração dos 75 anos estamos buscando contatos que possam nos ajudar a conhecer tudo que nossa Jufem Brasil viveu.
      Obrigada por compartilhar com a gente!!
      Uma vez Jufem, sempre Jufem!!

    • Zuleica, a senhora poderia contar mais sobre a Jufem na sua época. Ainda lembra quem fazia parte do seu grupo? Tem alguma foto?

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*