14º dia: A serviçalidade de Regininha

Neste 14º dia da preparação para o Natal, queremos nos espelhar em nossa querida heroína Regininha.

Regininha tinha uma características muito marcante: a serviçalidade!  Esta viria a marcar seu ideal pessoal:

“Amar pelo servir em prontidão filial”

 

Cada palavra do seu ideal pessoal, tem significado profundo e consciente:

AMAR: o amor por si só, já engloba tudo de bom que um ser humano possa desejar. É o sentimento mais sublime que se pode oferecer a alguém. Regininha se propõe a amar, amar a Deus, a Maria, ao próximo, e amar as coisas boas e os sentimentos puros.

SERVIR: Eis uma palavra difícil de ser vivida. Somente o amor pode impulsioná-la a viver servindo desinteressadamente. Deixar suas tarefas para ajudar os outros a cumprir a sua, muita vezes, deixar de se divertir para divertir e sorrir para os outros, de se realizar para se sentir feliz realizando os outros.

MARIA: Em Maria, podemos reconhecer toda a base e profundidade religiosa de Regininha, que a chamava de Mãezinha. Como não poderia deixar de ser, por sua pureza, seu silêncio, sua dedicação, Maria tem uma presença marcante em sua vida diária, pois era o seu modelo, sua Mãe, sua Conselheira em seu caminho de filha.

PRONTIDÃO FILIAL: Neste pondo podemos observar como Regininha se sentia pequena e como se entregava de corpo e alma à sua missão aqui na terra. Prontidão é sinônimo de humildade, de desinteresse, de dedicação e de amor a uma causa, seja ela qual for ou exija ela qualquer sacrifício e renúncia.

Analisando, assim, palavra por palavra de seu ideal pessoal, concluímos quanta simplicidade e ao mesmo tempo, quanta riqueza interior Regininha nos oferece como herança.

Por isso hoje, queremos tomar seu ideal como exemplo e dedicar-nos no pontinho da serviçalidade, renunciando o comodismo para ajudar o próximo!

 

Leia mais sobre a história de Regininha: http://www.jufem.com.br/herois/maria-regina-sakura-tokano/

Fonte: http://www.maeperegrina.org.br/schoenstatt/herois/regininha/

 

Regina_Destaque

Seja o primeiro a comentar em "14º dia: A serviçalidade de Regininha"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*