30 ANOS DE ALIANÇA DE AMOR NA JUFEM

O mês da Aliança é um momento especial para recordarmos e renovarmos nossa Aliança de Amor com nossa Mãe e Rainha de Schoenstatt. Ao conversarmos sobre nossa preparação para o centenário da Aliança, em um diálogo entre algumas das assessoras mais jovens do Regional Sul e Ir. Mirian, ela contou que selou sua Aliança quando estava na Jufem e que neste ano completaram-se 30 anos. É um belo testemunho e vale à pena reservar 4min para lê-lo.

Assessoras: Ir. Mirian, tu poderias abrir esta página tão bela de tua vida e contar um pouco para nós e nossa Jufem como foi a preparação para tua Aliança de Amor?

Ir. Mirian: Com 15 anos ingressei na Juventude e logo começamos a preparação para a aliança de amor. Nossa preparação durou 2 anos e no último final de semana de julho de 1982, selamos a Aliança de Amor como cooperadoras na Liga da Juventude Feminina de Schoenstatt, no Santuário Tabor, em Santa Maria/RS. Era um grande encontro regional da Jufem, que contou com mais de 200 jovens. Foi um encontro lindíssimo e nosso grupo teve momentos de formação separados a fim se preparar melhor. Após o momento solene da aliança e assinatura do livro da aliança no altar do Santuário, houve um momento de confraternização na Casa de Retiros ao lado, onde estávamos hospedadas.

Eu morava em Santa Catarina e para participar dos encontros regionais e congresso de outubro precisávamos trabalhar muito, porque tudo era muito caro, mas a Mãe nunca nos abandonou. Dessa forma participamos anualmente dos encontros regionais em Santa Maria. Sobretudo o dia da Aliança marcou a minha vida. Preparei-me muito seriamente e com muita alegria e saudade de poder ser toda da Mãe. Até um vestido novo pedi que minha mamãe costurasse e eu mesma desenhei, pois senti que este dia iria marcar a minha vida para sempre.

Assessoras: E como foi a descoberta de tua vocação?

Ir. Mirian: Quando entrei na Jufem praticamente já tinha clareza da minha vocação, pois desde os meus 7 anos, quando conheci a primeira Irmã de Maria de Schoenstatt, Ir. Maria José, eu senti que Deus me chamava à vida consagrada. Porém isso foi amadurecendo. Quando disse ao grupo que queria ser Irmã, lembro-me do espanto de todas, mas, ao mesmo tempo da alegria. Ir. M. Liane foi orientando-me, acompanhando espiritualmente, oferecendo oportunidades para retiro pessoal, discernimento, retiro na Liga da Juventude… colocou-me na escola do santuário e da autoeducação através dos meios pedagógicos de Schoenstatt: horário espiritual, ideal pessoal, exame particular… Assim que minha certeza do chamado à santidade em Schoenstatt foi crescendo sempre mais. O grande modelo para mim foi José Engling, primeira biografia que li e que simplesmente tocou meu coração pelo amor que ele tinha à Mãe Três vezes Admirável, ao santuário e ao Fundador Padre.Kentenich.

Assessoras: Mas quando foi que deste o passo decisivo para a realização de tua vocação?

Ir. Mirian: A decisão de entrar no Instituto das Irmãs de Maria de Schoenstatt se deu no final do Congresso de Outubro do ano que fiz minha Aliança. Eu cursava o último ano do Normal (magistério) e assim, como estava decidida, eu poderia entrar no Postulado seguinte. Confiei na força da minha entrega à Mãe pela Aliança de Amor e ingressei no Postulado das Irmãs de Maria. Primeiramente meus pais queriam que eu seguisse os estudos na universidade, mas como me viram decidida, apoiaram minha vocação.

 

Assessoras: O que significou o ideal da Jufem para tua vida?

Ir. Mirian: O que posso testemunhar? Assumindo os ideais da Jufem, pela aliança de amor, assumi levar Schoenstatt ao mundo. E a Mãe quis mais, quis-me usar como sua pequena filha e instrumento inteiramente para o seu Reino de Schoenstatt e concedeu-me a graça da vocação de Irmã de Maria, a fim de ser sua presença viva no meio do mundo. Desde que conheci Schoenstatt nada mais me cativou e toda a minha vida teve e continua tendo um único objetivo: viver e morrer no amor por Schoenstatt, oferecendo tudo ao capital de graças pela fecundidade de Schoenstatt na Igreja e no mundo. Querem saber se sou feliz? Acredito que dá para perceber nestas entrelinhas toda gratidão para com o amor infinitamente misericordioso do PAI que me escolheu, justamente porque pequena, para tão grande missão em Schoenstatt! Vim para servir e confesso: não há alegria maior do que servir ao Reino da Rainha de Schoenstatt e de seu Filho.

Assessoras: Ir. Mirian, tu poderias deixar ainda um recado para a Jufem-Brasil que está trabalhando tanto pela realização do grande encontro internacional COR UNUM geração 2014?

Ir. Mirian: Queridas Jovens! Em 2014 celebraremos 100 anos da Aliança de Amor. A Mãe conta com corações juvenis cheios de fogo e ardor pela missão, assim como contou com os primeiros congregados. Por isso, não tenham medo de se entregar, de se doar inteiramente. Schoenstatt precisa de jovens que tenham a coragem de dar o seu sim, com amor, para construir um mundo sustentado na aliança de amor.

Na caminhada rumo à JMJ Rio 2013, rezo por vocês. Quero vê-las lá e no Cor unum! Ir. Mirian F.

 

Seja o primeiro a comentar em "30 ANOS DE ALIANÇA DE AMOR NA JUFEM"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*