Com muito amor: Eis-me aqui, Pai!

Querida Jufem, sou Lanna e participo da Jufem de Brasília. Falar do Pai e Fundador, é falar de Schoenstatt, é lembrar da Mãe de Deus… O que já faz meu coração bater mais forte! Quando comecei a participar da Jufem, lembro que realmente estava encantada, pois tinha encontrado o meu lugar, sentia isso muito forte dentro de mim, tudo me chamava a atenção… Observava as pessoas falando do Fundador com tanto amor que eu fui atrás de conhecê-lo, queria sentir aquilo que as pessoas sentiam ao falar dele.

Li muito sobre a sua pessoa, sobre sua obra e a cada livro me admirava mais por sua entrega, por sua confiança e vejo que a cada sim dele dado a Deus, fez toda a diferença na minha vida. Comecei a perceber que tudo o que estava me tornando e me torno, eu devo a ele, e assim começou o nosso contato, pela gratidão por tudo! Sentia a presença de Deus na vida dele, no agir dele… E assim, admirando, agradecendo… Eu comecei a tê-lo cada vez mais perto, pedia ajuda e sempre queria “escutá-lo” pelo telefone do Pai, quando eu ainda não tinha, eu ia ao Santuário, pedia para a Irmã uma mensagem só para ler e depois devolvia, era sempre uma resposta ao meu coração, mesmo quando eu não entendia, eu confiava, acreditava em suas palavras e de repente tudo fazia sentido… E dessa forma, de maneira simples e singela, ele me conquistou e se tornou meu Pai, meu amigo.

Na época do Centenário, tive a graça de estar em Schoenstatt, e tinha pedido a intercessão dele… Lembro que ao chegar em seu túmulo, eu chorava e agradecia “Pai, eu consegui, eu estou aqui! Muito obrigada por interceder por mim, por ter me escolhido como sua filha!”. Aquele momento foi muito especial para mim, senti todo o seu cuidado comigo e senti a sua presença como se me abraçasse.

Eu nunca tive um santo intercessor, sempre admirei-os, mas nunca tive tanta proximidade com nenhum, hoje eu vejo o Pai como um Santo, e tão próximo de mim! Rezo para ele ser reconhecido! Às 21 horas rezo a jaculatória e isso me dá muita força, saber que por minha santidade, o Pai pode ser canonizado! Sempre converso com ele e coloco tudo o que há no meu coração, peço sua intercessão e confio. Tantos “Pai, me ajuda!” e ele nunca me deixou!

Durante a preparação para Aliança Filial, comecei a ter o costume de sempre pedir a sua bênção e sempre pedindo que o “meu coração em teu coração, meu pensamento em teu pensamento, minha mão…”. Quero ser sempre fiel ao seu carisma, para ser uma filha que ele tenha orgulho!

Com muito amor: Eis-me aqui, Pai!

 

Lanna Costa

Seja o primeiro a comentar em "Com muito amor: Eis-me aqui, Pai!"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*