Domingo de Ramos

Querida Jufem!

Você poderia estar fazendo muitas coisas agora, mas que bom que decidiu parar e ler esta matéria! Nossa vida é assim: feita de pequenas e grandes decisões, como foi também a vida de nossa querida Mãe e de nosso Pai e Fundador.

É semana santa! Para quem se decidiu por um caminho de santidade, em Schoenstatt, a semana santa, não é uma semana a mais no ano! Não… é um momento muito especial, que pode fazer a diferença em nossa vida. O que você entende por semana santa? Você compreende o profundo sentido de todas as celebrações que teremos?

Ela tem início com a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, o Domingo de Ramos! A liturgia já dirige nosso olhar para a Paixão de Jesus, com o relato de sua crucificação. Olhemos para Jesus nesta semana, procuremos estar com Ele, refletir sobre seus sofrimentos, dar espaço para que Ele fale ao nosso coração e nos ensine a encarar o sofrimento de nossa vida como participação em sua dor redentora… Podemos, então, viver esses dias de maneira diferente!

Com certeza, cada uma procurou fazer um sacrifício especial durante a Quaresma, mas o amor sempre quer doar um pouco mais e por isso me pergunto: nesta semana, o que ainda posso oferecer a Jesus? Como unir-me pessoalmente a Ele? Como nós, Juventude Feminina de Schoenstatt, queremos viver esta Semana Santa? Será como Pedro, Judas, os soldados, Simão de Cirene, os fariseus, Maria, João?

Na liturgia vemos: as mesmas pessoas que hoje proclamam “Hosana ao Filho de Davi”, na sexta-feira, gritam: “Crucifica-o”! Isto deve “mexer” conosco, de certa forma, fazer-nos refletir. Estes dias podem ser de profunda e silenciosa intimidade com Jesus, para penetrarmos no mistério do seu amor. Este é o mistério de Jesus: amor que se chama misericórdia! Não é possível definir de outra forma este mistério de um Deus tão grande que se faz um de nós em tudo, menos no pecado, se deixa maltratar, perdoa a todos e nos concede a salvação eterna pela morte na cruz.

O Papa Francisco, certa vez, falou numa de suas homílias sobre o amor, não de um “amor de novelas”, mas do amor verdadeiro, livre, sincero, aquele que só Deus pode dar. Amor de um Deus que sempre ama independente do pecado que cometemos. “Esta palavra ‘amor’ se usa tantas vezes e, quando usada, não se sabe o que significa exatamente. Que é o amor? Às vezes pensamos no amor das novelas, não, aquilo não parece amor. Ou o amor pode parecer um entusiasmo por uma pessoa e depois… se apaga. De onde vem o verdadeiro amor? Quem ama foi gerado por Deus, porque Deus é amor. Não diz: ‘Todo amor é Deus’, não: Deus é amor”.

Este é o mistério que queremos reviver nesta semana especial, o mistério do amor de Deus que morre na cruz por nós! Um amor de compaixão; não de sentir pena, mas de sentir com o outro, sofrer pelo outro. Posso fazer a experiência: Ele morreu por mim! Queremos intensificar o jejum e principalmente a oração, e acompanhar Jesus e a Mãe de Deus no caminho do Calvário, para assim ressuscitarmos com Ele no Domingo de Páscoa! O que precisa morrer em mim, para que eu “ressuscite” com Jesus?

Aproveitemos esta semana como Juventude Feminina de Schoenstatt, como Juventude Católica!

“Cada cruz é uma expressão do amor divino. Vista e carregada desta maneira, ela se converte em bênção. Santa Mãe, imprime profundamente em minha alma as chagas, que teu Filho sofreu por minha causa” (Pe. José Kentenich).

Seja o primeiro a comentar em "Domingo de Ramos"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*