Entrevista – “O movimento arriscado mais certeiro…”

Maria Clara (de branco e com blusa vermelha na cintura) e a Jufem Vila Mariana

Querida Jufem,
Passado nosso Encontro Regional, fomos atrás de uma das muitas meninas que participaram pela primeira vez de um encontro e perguntamos: Como foi sua experiência??
Para nossa grata surpresa, a resposta está neste belo testemunho da Maria Clara Eles (Vila Mariana/SP), contando o que achou!

Foi um tanto quanto arriscado “cair de paraquedas” no último Encontro Regional da Jufem. Tendo conhecido o Movimento a menos de um mês e ter tido apenas uma introdução sobre a história de Schoenstatt, as chances de não entender o que seria falado era de quase 100%, porém o amor que eu percebia em cada palavra da Alessandra e da Alcinéia sobre o Movimento e o hino maravilhoso foram capazes de me convencer a ir até Atibaia. E, convenhamos, foi o movimento arriscado mais certeiro que já realizei!
A primeira coisa que me chamou a atenção foi a alegria no rosto de cada menina, mesmo daquelas que haviam viajado por horas, era uma alegria contagiante e diferente daquela do mundo. Depois, o amor, tanto pelo Movimento quanto por cada uma que estava ali, nem parecia que era primeira vez que via tudo aquilo, era como se já estivesse vivendo há anos com todas as meninas. Cada momento era único e regado de fé e unção. As palestras das Irmãs, cada uma com suas particularidades, foram capazes de plantar uma semente em meu coração, da qual espero que germine tudo aquilo que fará com que eu seja, cada dia mais, uma pequena Maria, germine um amor cada vez maior pelo Pai e que me transforme em uma jovem diferente, que seja capaz de viver os ideais da Jufem e de transbordar o amor, a alegria, a fé, a esperança e o sorriso da Mãe para todos aqueles que necessitem.
Escutar os testemunhos sobre fazer parte do Movimento fez e faz a diferença na vida e nas conquistas de todas nós, e só deu mais vontade de fazer parte também. Não conhecer mais a fundo foi só um pequeno empecilho para entender em profundidade a Aliança de Amor, mas sempre tinha alguém super disposta a explicar.
Tive a certeza que todos os sentimentos não eram pura euforia ao entrar no Santuário. Foi ali dentro que meu coração encontrou a verdadeira paz, foi ali que me senti tomada pelo Espírito e fortalecida para enfrentar toda a caminhada, que sei que não será fácil. Tornou-se, assim, o refúgio da minha alma e corpo. Tive a certeza que tanto precisava, que estava no lugar certo e que à Schoenstatt pertenço. Espero que todas as meninas que estavam ali pela primeira vez, tendo feito ou não a Aliança de amor, possam ter se sentido como me senti e que no ano que vem muito mais meninas possam ter essa experiência transformadora e apaixonante que tive.

Maria Clara Eles (Jufem Vila Mariana)

Seja o primeiro a comentar em "Entrevista – “O movimento arriscado mais certeiro…”"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*