Juarez Martins Hoppe

Data de Nascimento: 19/07/1947
Data de Falecimento: 05/01/2006

Juarez nasceu em Passo Fundo (RS), no dia 19 de julho de 1947. Ele é o terceiro dos oito filhos de Leopoldo e Ana Hoppe. Durante trinta anos foi casado com Tecla, de cujo casamento nasceram cinco filhos.

Profissionalmente, Juarez era formado em Engenharia Florestal e professor da Universidade Federal de Santa Maria, desde 1975. Fez mestrado na Universidade Federal do Paraná e o Doutorado na Universidade Federal de Santa Maria.

Dedicou-se de forma exemplar em todas as suas atividades profissionais, sendo muito estimado, especialmente pelos seus alunos, frente aos quais desdobrava sua paternidade, orientando-os e aconselhando-os.

Todo o seu tempo disponível era dedicado à família, ao Movimento de Schoenstatt e à Igreja. Juntamente com Tecla, como casal, começaram a participar do Movimento em 1979 e fizeram sua Aliança de Amor como cooperadores da Liga das Famílias em 12 de setembro de 1980. Instituíram o Santuário-Lar em 8 de novembro de 1984, cujo ideal era “Santuário-Lar da Eterna Gratidão”. Foram dirigentes diocesanos da Liga das Famílias durante quatro anos.

Em 1988 ingressaram no I Curso da União de Famílias no Brasil. Foram dirigentes do Curso e, posteriormente, tornaram-se o primeiro casal dirigente da União no regional Sul.

Em todos os ambientes Juarez se destacava pela alegria, pela liderança positiva e transmitia sempre animação, entusiasmo e empenho pela causa, pela missão que abraçava.

No âmbito da paróquia, Juarez foi presidente do Conselho Paroquial e, com a Tecla, uma liderança ativa nos seus diversos setores. Conseguiram motivar o pároco a introduzir a Mãe e Rainha na Matriz, construindo, em 1999, um santuário paroquial, que se tornou centro de atração dos fiéis, sendo que a missa da Aliança, nos dias 18 de cada mês, é a mais concorrida.

Desenvolveram também a Liga das Famílias e criaram um Curso de preparação para o Matrimônio na paróquia. Juarez foi surpreendido pela doença – uma leucemia – em plena atividade nos vários campos em que atuava. Foram mais de nove meses de uma luta desdobrada em períodos alternados de hospital e em casa

“Entreguei-me totalmente à Mãe de Deus. Estou inteiramente a sua disposição! Não peço nada à Mãe de Deus. Apenas lhe digo: Tu tens que me sustentar porque sozinho não agüento!”

A Família de Schoenstatt de Santa Maria perdeu, em 5 de janeiro de 2006, Juarez Martins Hoppe, um verdadeiro filho que viveu a Aliança em seu mais alto grau de aspiração.

Fonte: Olindo e Marilene Toaldo / maeperegrina.org.br