Max Brunner

Ideal Pessoal: Eu quero ser um Santo

Data de Nascimento: 12/12/1887
Data de Falecimento: 23/04/1917

Max Brunner nasceu no dia 12 de dezembro de 1887, no sudoeste da região da Baviera, e ingressou na casa de formação dos Padres Palotinos, em Schoenstatt, no ano de 1911. No começo se adaptou muito bem à dura disciplina do seminário, mas logo depois da transferência para Schoenstatt sua conduta se modificou e suas notas começaram a cair.

Seu comportamento começou a mudar quando a Congregação Mariana se formou. No começo, não se entusiasmava com as iniciativas do Movimento Apostólico de Schoenstatt, que nascia e florescia, arrebatando o entusiasmo de muitos jovens.

Mesmo assim, no ano de 1914 adere à Congregação Mariana, como membro, e passa a ocupar um papel de liderança, especialmente na parte de missões.

A Aliança de Amor operou maravilhas no seu coração e, sob a orientação do padre José Kentenich, Max Brunner descobria ideais elevados e sentia-se impulsionado a dar a sua vida pela causa de Deus.

Dele vem a expressão “Ave, Imperatrix, morituri te salutant” (“Salve, Imperatriz, os que estão prontos para morrer te saúdam”), que muitas vezes o Pe. Kentenich cita para referir-se à atitude abnegada e festiva dos primeiros congregados heróis, com relação à entrega das suas vidas pela causa de Schoenstatt, se preciso fosse.

Em março de 1916, o jovem Max Brunner é chamado para alistar-se como soldado na Primeira Guerra Mundial. Depois do seu tempo de formação como soldado, em novembro de 1916 , em Andernach, é enviado para a frente de batalha, onde levou consigo tudo o que havia aprendido com seu diretor espiritual, padre José Kentenich.

Em 23 de Abril de 1917, morreu na luta, em Arras – França.

Max Brunner é uma das primeiras Cruzes Negras enterradas à sombra do Santuário Original em Schoenstatt, ou seja, foi um dos primeiros a entregar sua vida pelo reino da MTA.

A sua vida foi inteiramente doada na Aliança de Amor e continua a entusiasmar outras vidas mostrando que vale a pena viver e morrer por um grande ideal.

“A uma Rainha não podemos negar nada, Ela tem poder sobre mim, pode dispor sobre mim.” Max Brunner