I Encontro Heroico da Jufem

Nos dias 22 e 23 de setembro, aconteceu o I Encontro Heroico da Jufem. O evento se trata, na verdade, de uma adaptação da Caminhada Heroica da Regininha, na qual andávamos de Cornélio Procópio a Uraí a pé. Devido a muitos fatores, não foi possível realizar a caminhada este ano, mas mesmo assim, todas se empolgaram com o “Encontrão” da Jufem.

Meninas de Cornélio Procópio, Uraí, São Sebastião da Amoreira, Ibiporã e Jacarezinho se reuniram no Santuário Tabor da Fidelidade à Igreja para se vincular e celebrar a memória dos heróis de Schoenstatt.

O evento começou no sábado, às 17h30, com uma recepção e, logo em seguida, rezamos um terço em frente ao Santuário. Durante a preparação do jantar, as meninas participaram de uma dinâmica: cada equipe recebia um enigma para decifrar e, ao final, cada enigma formava uma frase das heroínas como Bárbara Kast, Regininha, Gertraud von Bullione Emilie Engel. Foi um momento de vinculação e reflexão sobre as frases decifradas.

Após o jantar, demos início à espiritualidade, que buscou estabelecer uma reflexão acerca dos heróis “comuns”, que demonstram o heroísmo nas pequenas atitudes do cotidiano, assim como fizeram as gerações passadas de Schoenstatt. A partir dessa reflexão, as meninas foram convidadas a fazer uma autoavaliação e responder “qual é o seu superpoder?”, isto é, o que cada uma tem de especial para levar ao mundo e torná-lo um lugar melhor (a prontidão, a alegria, a doação, o dom de escutar, a vontade de ajudar…). Com isso, foi possível perceber que não é difícil sermos heroínas: basta que coloquemos em prática o nosso superpoder especial em cada situação – e tudo isso não deve ser feito para nos mostrarmos grandes aos olhos do mundo, mas para a maior glória do Pai e da Obra!

No domingo, tivemos uma encenação sobre a vida da Bárbara Kast, com o objetivo de refletir sobre sua trajetória até alcançar a santidade e o heroísmo. Além disso, fizemos a nossa oração da manhã com uma reflexão muito bonita sobre a Consagração. Após o café da manhã, fomos de ônibus até Uraí, cidade em que Regininha foi sepultada. Lá, no túmulo de nossa heroína, entregamos todo o nosso Capital de Graças e os nossos “poderes”. Depois, seguimos caminhando até a Igreja Matriz para a santa Missa. O evento terminou com um almoço preparado com muito carinho pela comunidade de Uraí.

Isabella Paraíso, de São Sebastião da Amoreira, nos conta o que achou: “como a Jufem da minha cidade tem apenas um ano, todos os encontros, fora da nossa rotina, são únicos, tudo é novo, e eu amo, pois me faz refletir por quais motivos eu estou aqui e por que eu amo tanto fazer parte do movimento de Schoenstatt. Esse ‘encontrão’ em Cornélio foi um dos mais emocionantes, ele tinha exatamente tudo pra dar errado devido ao clima, e no fim, foi mais do que perfeito! Entender melhor sobre heroísmo era exatamente o que eu precisava, foi essencial para que eu pudesse refletir, melhorar em vários aspectos, e não ganhei apenas o progresso que precisava, ganhei também várias amizades lindas! Passar um tempo e conversar com pessoas com os mesmos ideais que os nossos, nos traz uma sintonia e uma paz tão boa. Não vejo a hora de ter o próximo!

“Participar do encontro foi realmente incrível! Conhecer um pouco mais as nossas heroínas e ver tantos lírios se empenhando pelo ideal de ser verdadeira Jufem e levando o amor e a alegria de nossa MTA foi um sentimento único!” Expressa Mikaela de Moura Gomes, de Jacarezinho.

Seja o primeiro a comentar em "I Encontro Heroico da Jufem"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*