Jovem como nós, livre como nós!

Querida Jufem!

“Tua mão, ó Pai, se inclinou e elegeu pequenas filhas prediletas, que a teu aceno querem dar seu sim, a exemplo de Maria, lírio excelso em teu jardim. A ela pertence o nosso ser, por ela somos moldadas, na alegria nobre e no sacrifício do santo sofrer. Cumpra-se, ó Pai, somente o teu querer; que a pureza resplandeça em nosso viver! Toda bela és Maria, Maria queremos ser, Tabor para o mundo e no Santuário permanecer!”

Hoje é a Festa da Anunciação do Anjo a Maria! “Bem-aventurada aquela que acreditou…” (Lc 1, 42). Uma festa dupla, festa de Cristo e de Maria, um mistério concretizado. Poderia ter sido qualquer mulher, mas Deus, em sua Providência, escolheu Maria e com o mesmo amor escolheu a cada uma de nós, suas filhas, para continuarmos este sim.

Maria foi uma jovem como nós, com toda a liberdade de decisão, porém Imaculada, sem pecado. Decidiu ser virgem, ao contrário de todas as outras jovens. Nos dias de hoje, com tantas correntes e modismos que nos atacam diariamente, darmos um sim à virgindade, um sim ao ser Lírio do Pai é aceitar algo contrário do que muitas jovens vivem e pensam, é um pequeno milagre da Anunciação que se realiza.

A Mãe de Deus foi aquela que acreditou, por isso esta é a festa da confiança; quem de nós teria a ousadia de responder um sim como a Mãe de Deus diante de tal situação? Ela deu seu sim a Deus, um sim total, mesmo sem compreender os seus desígnios.  Na cena da Anunciação, vemos a consciência e a força da Mãe de Deus ao deparar-se com o anjo, ao ouvir a mensagem e questionar. Ela pergunta: como se dará isso? E responde prontamente. Foi um salto no escuro, nenhuma segurança humana, mas o que a sustentou e fortaleceu foi sua confiança em Deus, pois ela sabia e se sentia como filha amada e eleita.

Nós, como filhas muito amadas do Pai, podemos confiar, dando o nosso sim, humilde e fiel. Em suas mãos, queremos ser Lírio do Pai Tabor para o mundo, uma filha amada que dia por dia deseja assumir e cumprir a missão.

O anjo do Senhor anuncia uma mensagem à pequena Maria que existe dentro de cada uma de nós; a exemplo de Maria podemos aprender a esperar contra toda a esperança, sem saber o que pode acontecer e responder sempre sim… O que teria acontecido se Maria não tivesse dito sim? Não haveria redenção! Pelo seu sim, também se fez Schoenstatt, um novo Nazaré, este sim que se repete a cada nova Aliança de Amor selada, a cada renovação. Podemos considerar os dias 18 de cada mês como renovação do sim de Maria, e o nosso sim é cooperação na redenção, é um sim semelhante ao da Anunciação que se renova, que se perpetua em nós.

Deste grande mistério podemos concluir: o Pai escolhe porque ama, ama assim como somos! Ele vê Maria em nós! E queremos juntas responder: eis aqui a tua Juventude Feminina de Schoenstatt! Eis aqui o teu canteiro de lírios!

Filha amada, assume a essência do teu ser!!!

Seja o primeiro a comentar em "Jovem como nós, livre como nós!"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*