Os passos do Pai geram vida aonde ele vai…  

Divididas em grupos, a Jufem Brasil refez os passos do Pai Fundador por Londrina

A primeira atividade na parte da tarde do sábado (5) foi conhecer os lugares por onde o Pai Fundador, Pe. José Kentenich, passou quando esteve em Londrina. O objetivo da visita foi ter um encontro pessoal com o Pai e conhecer a herança que a Família de Schoenstatt de Londrina possui.

Diversos grupos animaram o centro de Londrina enquanto passavam no caminho entre o Santuário até a Santa Casa. As visitas foram guiadas pelas jovens da Juem Londrina e pelas Irmãs, que convidavam as jovens a refletir sobre o caminho que vinham fazendo.

 

No Hall de Entrada do Colégio Mãe de Deus

   hall

Há 68 anos, recém-saído de Dachau, Pe. Kentenich chegava a Londrina. Era 1947, no hall de entrada do Colégio Mãe de Deus: irmãs, alunas e professoras aguardavam ansiosamente o momento em que estariam com o fundador.

Hoje, as jovens passam pelo locam cheias de curiosidade. São muitas fotos e a alegria ao conhecer o lugar onde o Pai pisou pela primeira vez. Também é possível conhecer a sala onde o Pai atendeu muitas visitas e ver objetos pessoais do Pe. Kentenich, deixados a mostra.

Não se trata apenas de uma visita histórica, o momento também é hora de renovar o compromisso e reassumir a missão “Recebe nosso peregrinar como sinal de nossa gratidão, pela herança que recebemos com tuas visitas à nossa Pátria, especialmente aqui em Londrina”, rezam as jovens.

Trono da Mãe de Deus na entrada do Colégio

quadro MTA

Este local abriga o tijolo abençoado pelo Padre Kentenich em Schoenstatt e trazido por uma das doze irmãs pioneiras, Ir. M. Almut em 1935. Ele é o Símbolo concreto da oferta das pioneiras, como “vivas” pedras de construção para Schoenstatt no Brasil.

Ali as jovens renovam a entrega filial a MTA, como instrumentos fieis ao Pai Fundador. Lírios são deixados aos pés da Mãe em sinal de gratidão por todas as graças conquistadas por todos que ali já passaram.

 

Na Capela Histórica

capela histórica

Entrar na Capela histórica é também reviver um encontro pessoal com o Pai. Lá ele “espera” cada Jufem com uma mensagem especial. Todas saem da capela com um “telefoninho” do Pai. É como se o próprio Pe Kentenich dissesse aquelas palavras às jovens. Nesta Capela o Pai celebrou diversas vezes, presidiu vestições, fez pregações e meditações.

 

 

No pátio do Colégio

 

Em 20 de abril de 1947 o Pai proferiu a palestra “O Pai Saúda os Lírios!”, ao seguir os passos do Pai, a Jufem não poderia deixar de ouvir estas palavras.

“Por que o mundo está tão frio? Há poucas verdadeiras mulheres e jovens, na Igreja. (…) Nós devemos elevar-nos ao alto e conduzir ao alto.  Faça-se a pequena Maria que aponta ao alto e conduz ao alto. Vocês escolheram um ideal elevado!”, disse o Pai na ocasião.

 

Na estátua do Pe. Kentenich e no Santuário

 estátua e santuário

Na estátua do Pai definiu-se o ideal Tabor. Em seguida as jovens rumam ao Santuário onde renovam a Aliança de Amor e o compromisso de fidelidade com a Obra de Schoenstatt.

 

“O Pai me ama, o pai me vê, o Pai precisa de mim, que possamos ser a Geração que quer refundar Schoenstatt no novo século”, rezam juntas.

 

Na Santa Casa

 

A primeira visita do Pe Kentenich à Santa Casa foi em 12 de abril de 1947. O Pai esteve ali novamente em 1948 . Lá ele proferiu as palavras “Santa Casa, uma Casa Santa, e numa Casa Santa se deveria viver santamente”.

 

 

Os passos do Pai geram vida….

“Eu estudei no Colégio Mãe de Deus e agora tenho um olhar diferente, pois descobri toda história que existe aqui. De agora em diante passarei a pedir a intercessão do Pai em cada um desses lugares. Isso é bem forte para mim”, afirmou a jovem Maria Eugênia Ulbrich, da Jufem Londrina/PR.

 

 

 

 

 

Seja o primeiro a comentar em "Os passos do Pai geram vida aonde ele vai…  "

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*