Preparação para o Natal: 4º Domingo do Advento

O Natal está cada vez mais próximo, e a dúvida que permanece é: seu coração já está preparado para receber o Menino Deus?
Vejamos o que o Evangelho deste domingo tem para nos falar:
Naquele tempo, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!”
Maria ficou perturbada com essas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo, então, disse-lhe: “Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim”.
Maria perguntou ao anjo: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?”
O anjo respondeu: “O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, porque para Deus nada é impossível”. Maria, então, disse: “Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!” E o anjo retirou-se.”
(Lc 1,26-38)
Como nós, como Jufem podemos aplicar este evangelho em nossas vidas?
Podemos lançar nosso olhar para este Evangelho refletindo sobre três aspectos principais: a escolha de Maria como instrumento para os planos de Deus, a liberdade que Deus dá aos seus filhos e o “FIAT”.
Logo no início vemos a figura de Maria, uma jovem que encontrou graça diante de Deus e foi o instrumento perfeito, que se deixou guiar pela vontade do Pai em todos os momentos. Maria se entrega sem dúvida e confiando filialmente que “Deus é Pai, é bom e bom é tudo aquilo que ele faz”.
Nós também somos filhas amadas do Pai. Somos seus lírios prediletos (lírios do Pai), chamadas desde a eternidade para colaborar nos planos de amor de Deus. Nosso Pai Fundador também foi escolhido: escolhido para carregar em seu coração o sonho de Schoenstatt e torná-lo real. Assim como Maria e o Pe. Kentenich, cada uma de nós é um pequeno instrumento chamado a vida com uma missão.
Muitas vezes nos sentimos incapazes de realizar a tarefa que Deus nos confia, mas temos que ter o coração aberto e estar prontos a pronunciar o nosso SIM! E nosso sim deve ser confiante, sem dúvidas, pois só assim poderemos cumprir o plano de amor do Pai para cada uma de nós.
Neste ano Centenário recebemos uma grande missão, será que estamos conscientes dela? Somos a GERAÇÃO 2014, que deve garantir Schoenstatt para os próximos anos. Assim como Maria, podemos nos perguntar, “mas como será”? Porém, somente confiando no Pai é que poderemos cumprir sua vontade.
O SIM, “fiat” de Maria é a prova de que realmente, Maria acreditava no amor do Pai. Maria deu seu SIM, sem medo, pois sabia que Deus Pai estaria sempre ao seu lado. O sim de Maria tem uma importância muito grande, pois mostra como Deus quer depender de nós. Deus quer a humanidade livre para fazer suas escolhas. Ao dar o SIM ao anjo Gabriel, Maria confirma os planos do Senhor, mas esses planos dependem também da vontade de Maria. Aqui nos lembramos: “nada sem vós, nada sem nós”.
A liberdade interior é uma das grandes virtudes do homem novo sonhado pelo Pe. Kentenich. Nosso Pai foi perfeito exemplo disso, mesmo vivendo no Campo de Concentração ele era LIVRE. Será que somos capazes de viver nossa liberdade interior? Somos autênticas ou nos deixamos levar pela moda, pelas amizades, pelo “barulho” do mundo?

Por fim, voltamos a refletir o FIAT: “Faça-se em mim a vontade do Senhor”. Em Schoenstatt dizemos que somos filhos da Confiança na Providência Divina. Esta confiança nos leva a viver o que o Pe. Kentenich nos indica “Quantas coisas Deus poderia fazer conosco, se tivéssemos a singeleza de simplesmente dizermos ‘sim’ como uma criança”. Maria experimentou a graça de Deus Pai ao dar o seu SIM.

Pe. Joaquim Alliende escreveu um belo texto para o Schoenstatt.org falando sobre como o Pe. Kentenich via o FIAT. Segue um trecho que retrata essa visão, segundo o Pe. Kentenich Se eu me apercebo que, no acontecer da minha vida, a Providência me está a pedir uma resposta, direi: “Faça-se, cumpra-se, em mim, a Tua vontade”. Este aceitar, este fiat, é similar ao Fiat da Anunciação. Tal aceitação é mais natural na mulher. Mas não chega. É necessária uma firme adesão. José Kentenich chama-lhe “volo”, isto é, um resoluto “quero”. Um decidido e audacioso sim, mais natural no Homem. E, o nosso Pai precisa: “eu acentuo o “volo” sobre o “fiat”. O “fiat” da Anunciação exige o “volo” do “ir depressa pela montanha”.”
Quando Deus nos fala, estamos dispostas ao nosso “FIAT+VOLO”? Podemos tomar isso como um ponto prático para o próximo ano que se aproxima.
Ainda temos tempo de dar o nosso “sim” para Cristo, para que ele viva em nós e nos acompanhe por todo 2015! Então, querida Jufem, não deixe de se preparar! Vamos receber o Menino em nosso coração e também em nossos lares.
“Vem, Jesus, ó Rei divino, ao meu pobre coração.
Eu te espero com saudade, alegria e gratidão.
Se o mundo te rejeita com dureza e rigor,
minha alma te acolhe com ternura e amor!”

Seja o primeiro a comentar em "Preparação para o Natal: 4º Domingo do Advento"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*