Sempre Jufem – A Jufem de amanhã depende de você hoje

Uma vez Jufem, sempre Jufem!

Aparentemente este slogan “Uma vez Jufem, sempre Jufem!” parece, diríamos, uma propaganda não muito criativa. Mas para quem não apenas bate o olho e se propõe a “desempacotar” seu significado tem então uma bela surpresa! É este o sentimento que tenho ao acompanhar nosso site e ler cada testemunho das mulheres que hoje são “ex-Jufem” e que sabem o real e profundo significado de “Uma vez Jufem, sempre Jufem”, pois não estamos falando simplesmente de uma fase da vida e sim do que somos hoje, o que afirmo ser fruto deste feliz tempo na Jufem.

Toda a vida de Aliança de Amor e tudo que dela se desdobrou para mim é fruto deste tempo na Jufem. O fundamento de tudo isso recebemos em nossas reuniões de grupo, nos encontros de ramo, na convivência com outras jovens, com a Família de Schoenstatt…

Hoje, como não se alegrar quando escutamos algo sobre a Jufem?! Seja sobre uma conquista, início de um novo grupo, da Aliança de Amor de outro… Isso nos toca profundamente, pois sabemos o quanto isso significa! Afinal é eterno o coração de Jufem!!!

Preciso me apresentar: chamo-me Ir. Ana Maria, sou membro do Instituto das Irmãs de Maria de Schoenstatt há 17 anos, dos quais 09 foram dedicados ao trabalho direto com a Jufem, como Assessora. A coroa deste trabalho gratificante foi estar dentro do Santuário Original, representando Assessoras e Jufem Brasil, na virada do século de Schoenstatt e no momento da coroação da MTA, pela Jufem, no Santuário Original e ainda estava bem pertinho vendo “in loco” a entrega da Cápsula do Tempo! Ao relembrar desta hora sagrada que vivemos internacionalmente tenho dificuldade de saber qual lado do coração batia mais forte: o da Assessora ou o da eterna Jufem!!!

Bem, essa é minha história mais recente com a Jufem… Mas, talvez a primeira pergunta seja: como conheci a Jufem? Recebi o convite para conhecer a Jufem por parte de uma amiga e naquela tarde quando ela me convidou eu não imaginava que na verdade era a MTA quem estava entrando na minha vida para nunca mais sair! Foi assim que entrei para JUFEM ATIBAIA!!!

Eu já tinha tido contato com a imagem da MTA e com o Santuário por meio da catequese, mais eu não conhecia… Foi a Jufem quem me apresentou a MTA como minha Mãe, o Pe. Kentenich como meu Pai e Fundador e o Santuário como meu lar e a possibilidade de selar uma Aliança de Amor. E foi no dia de minha Aliança de Amor que tive certeza de minha vocação para Schoenstatt! Desde então vivi na certeza: “Schoenstatt é para toda minha vida!” E como para todas também chegou para mim o momento de admitir o que sempre soubemos: “não posso ficar na Jufem para sempre!” E a partir de então passei a perguntar-me: “qual é o meu lugar em Schoenstatt?” Foi desta pergunta que descobri minha vocação para ser Irmã de Maria de Schoenstatt.

Talvez eu ainda não fiz a pergunta mais importante: “afinal de qual geração faço parte? Em qual capítulo desta história de 75 anos me encontro?” Pertenço a geração da “descoberta do Ideal Nacional!” É o capítulo que marca o início da caminhada nacional mais concisa, consciente e forte.

Um capítulo especial: a descoberta do Ideal Nacional

Meu grupo de vida nasceu no canteiro de lírios da Jufem, paralelamente ao início da caminhada do processo da descoberta do Ideal Nacional que foram, ao todo, quase 4 anos… Nesse período recebíamos todas as informações e retornávamos com nossas opiniões e sugestões por meio de uma intensa correspondência. Não existia “rede social” e acreditem: mesmo sem internet éramos conectadas e felizes! É possível!!! E a oração que rezamos diariamente pedindo por nossa unidade no Tabor não demorou muito para já sabermos de cor!!!

Dos anos da Jufem guardo muitas recordações boas e felizes! Eu diria que tenho muita história para contar, mas pensei em registrar aqui os bastidores do Encontro Nacional de 1996, o encontro da descoberta de nosso belo Ideal Lírio do Pai, Tabor para o mundo!

Minha presença neste encontro era nos bastidores. Eu fiz parte do 1º grupo de “PPJ” (Permanente Presença da Jufem – aludindo à missão do Santuário de Atibaia: Permanente Presença do Pai). As jovens que já participaram de algum grande encontro em Atibaia conhece muito bem este “Team!”

Deste feliz tempo me recordo do fato de que estarmos nos bastidores não nos impediu de sabermos o que estava acontecendo na sala de conferências. Recordo que as dirigentes, que representavam toda a Jufem nestes dias de intensivo trabalho, sempre dividiam conosco as reflexões, pediam nossa opinião… Eu percebia que elas tinham essa preocupação de dividir, pois estavam conscientes de que representavam cada uma de nós. Também me lembro de nossas vivências no Santuário, momentos de adoração e dos muitos momentos alegres!!! Tínhamos uma bonita atmosfera de unidade no Tabor. E é impossível não se lembrar da “nuvem de angústia” que pairou sobre nós na última noite do encontro… Naquela noite nossos corações foram tomados pela aflição de mais uma vez não termos chegado ao ideal… A manhã seguinte já era de conclusão e despedida e pensávamos que, se não nasceu durante os dias intensivos de trabalho, como nasceria em uma manhã de despedida?! Nesta mesma noite ainda tivemos um momento de profunda oração no Santuário, na qual tenho certeza que cada uma, no íntimo de seu Santuário-coração, pediu para a MTA se revelar para nós…

Na manhã seguinte, quando começaram os trabalhos de conclusão do encontro, nossa equipe de PPJ foi mais uma vez ao Santuário, levamos nossa grande intenção: o pedido por nosso ideal e rezamos por nossas dirigentes para que elas estivessem abertas ao atuar do Espírito Santo. Depois retornamos para a sala da Jufem, que ficava ao lado da sala de trabalho das dirigentes. E a sensação que logo tivemos era que parecia que não tinha ninguém na sala, naquela manhã o tom de voz estava mais baixo, por assim dizer… E de repente este silêncio foi quebrado por uma salva de palmas! Olhamo-nos e falamos: nasceu o ideal! Tínhamos certeza de que era o ideal e mais do que depressa estávamos diante da porta da sala delas esperando que saíssem e isso não aconteceu tão depressa e dizíamos “por que elas não saem?”… Não foram tantos minutos, mas para nós foi um longo tempo de espera! Até que finalmente fomos convidadas a entrar!!! Elas tentaram fazer uma expressão de “estamos sérias…” mas não nos convenceram, tínhamos certeza de que elas tinham encontrado!!! E elas finalmente confirmaram: nasceu!!! E em contagem regressiva: 3,2,1… disseram: Lírio do Pai, Tabor para o mundo!

O sentimento deste momento?! O coração foi tomado pela alegria e a certeza de que estávamos testemunhando um milagre: um só coração e uma só alma!

Bem, este foi um episódio de uma linda caminhada e tenho que agradecer a Jufem e as Assessoras que pude participar deste processo e desta vivência única! E aqui estamos nós, celebrando 75 anos de uma história de lutas e de vitória da fidelidade de centenas de jovens ao longo destas quase 8 décadas! Se hoje posso estar aqui contando a minha história é porque antes e depois de mim tiveram gerações fiéis à Aliança de Amor e ao reino de lírios da Jufem. Jovens que no silêncio de sua vida diária, em meios às lutas e desafios e mesmo diante das quedas, foram fiéis!

Parabéns, Jufem Brasil pelos seus 75 anos! E confesso que no jubileu de 100 anos da Jufem eu espero poder ler o seu testemunho de Geração dos 75 anos!!! Será que isso acontecerá?

A Jufem de amanhã depende de você hoje!!!

1 Comentário em "Sempre Jufem – A Jufem de amanhã depende de você hoje"

  1. Minha nossa irmã, que história tão linda! Me emocionei agora.. Até me imaginei na mesma expectativa à espera da feliz notícia e graça de descoberta do nosso ideal.
    Obrigada pelas lindo testemunho irmã e obrigada também por fazer parte de tudo isso. Obrigada pelo seu sim a Schoenstatt, pois é por sua dedicação que hoje nós, geração do novo século de Schoenstatt, estamos firmes.

    Grandes, gigantescos abraços irmã. Nos cum prole pia! 😀

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*