Vida Profissional: vale a pena aguardar para entender a missão que Deus nos revela

Por Flávia Luísa Dias / Londrina (PR)

Olá meninas! Estava lendo as colunas sobre escolhas profissionais do nosso site e pensei que seria interessante compartilhar com vocês a história do meu processo de decisão profissional. Pelo simples fato de que a minha história é distinta, mas ao mesmo tempo é semelhante ao que muitas passam em seus corações.

Se existe uma palavra que me descreva por completo é “Sonhadora”! Na adolescência, sonhava em conquistar o mundo, descobrir a cura do câncer, fazer a diferença como profissional, mas nunca pensei em uma profissão específica. Gostava de tudo que não envolvesse matemática. Artes, literatura, biologia, filosofia. Até a chegada do terceirão, isso não era um incômodo, não me importava que as minhas amigas já tivessem escolhido qual curso iriam prestar no vestibular.

No meio do terceiro ano, comecei a ficar preocupada. Não fazia idéia do que queria, era tudo muito atrativo, muito legal, muito ‘minha cara’. Pensei em escolher o curso pelas matérias específicas da prova do vestibular. No curso de Psicologia, as específicas eram as minhas disciplinas preferidas: Biologia e Filosofia. Pronto! Estudei (na verdade, mais ou menos) o resto do ano e prestei o vestibular para Psicologia na UEL. É claro, não passei! Faltou o “nada sem nós”. O que mais me doeu não foi ter visto as minhas amigas comemorando ou a decepção dos meus pais, mas o fato de que eu não tinha me esforçado, não tinha feito a minha parte. Hoje entendo que a minha falta de dedicação era, na verdade, o meu inconsciente tentando me dizer que não era aquilo que eu queria pra minha vida.

Não queria fazer cursinho, então prestei o vestibular da Unopar (uma universidade particular de Londrina) para Artes Visuais. Comecei o curso e adorei! Tinha realmente a minha cara. Não precisava estudar, não tinha provas loucas. Eram apenas desenhos e filmes. Ia para a faculdade com meus lápis e um sorriso, mas eu não estava realizada. Não era meu sonho. Apesar de saber o quanto meus pais estavam se esforçando para pagar, decidi desistir do curso e passei por um dos momentos mais difíceis da minha vida. Fiquei doente por não conseguir entender qual era meu propósito de vida e por duvidar se eu tinha realmente uma missão aqui. Algumas vezes pensei que não valia a pena continuar vivendo.

Foi exatamente neste momento que a Divina Providência marcou minha história e fui apresentada à Juventude Feminina. O amor da Mãe me mostrou que não importava o tempo que fosse preciso pra eu descobrir meu propósito, o importante era que eu o buscasse. Comecei a ler revistas sobre profissões e gostei da Nutrição. Saúde e Comida, duas coisas que eu adoro! Fiz o primeiro ano, mas minha insegurança e medo de não estar no caminho certo falaram mais alto e decidi novamente sair do curso. Na mesma faculdade, troquei a Nutrição pela Gastronomia. E assim como no primeiro curso, eu curti logo de início. Não tinha provas, fazia arte e ganhava nota. E ainda tinham as degustações no final das aulas.

Mas não conseguia ligar essa profissão a uma missão de vida. Não entendia como eu poderia mudar o mundo, ajudar as pessoas. Então concluí que a área da saúde era um dos meus propósitos. Resolvi voltar para a Nutrição, mas mais importante, decidi que eu ia persistir, iria dar o meu máximo, dedicar-me.

Hoje sou nutricionista, faço uma pós-graduação de Biologia Aplicada à Saúde e trabalho em um laboratório que estuda o câncer de mama. Tenho a certeza de que estou cumprindo meus propósitos e buscando meus sonhos. Sei que cada etapa desse processo foi importante para que eu conquistasse a paz de fazer aquilo que amo. A confiança nas promessas da Aliança de Amor foi essencial para que eu continuasse buscando, através da profissão, meu ideal e minha missão.

 

6 Comentários em "Vida Profissional: vale a pena aguardar para entender a missão que Deus nos revela"

  1. Parabéns Flávia, eu admiro você, e digo que vou me espelhar nessa história, principalmente porque amo Biologia, especificamente a aplicada à saúde! 🙂 beijo

  2. Parabéns!!! Soh seremos excelente profissionais quando fazemos as coisas com amor!
    Nunca me imaginei fazendo farmácia! E hoje, no quinto ano de farmácia sei q sou realizada…
    Eh bom ver que precisamos passar por essas fases, de duvida, faz parte do amadurecer!!
    E com nossa Maezinha cuidando de nosso coração tudo fica mais fácil!!

  3. Fláaa,
    Que lindo, é mto bom ver sua vida cheia de vitórias…
    É estamos crescendo e que a MTA nos ajude a ser a cada dia mais partir em missão!!!

    PS:Lembra-se do nosso primeiro acampamento?! Beijo

  4. Lindo o seu testemunho Flá!!
    Com certeza servirá como inspiração para muitas da Jufem!
    Escolher a profissão é algo tão importante e difícil, mas quando fazemos o que gostamos tudo tende a dar certo!!
    Desejo uma ótima caminhada neste novo inicio de etapa de vida – continue correndo atrás dos seus sonhos e com a Mãe de Deus ao lado sempre conseguirá alcançá-los!!
    Vc é um orgulho para a nossa Jufem Londrina!

  5. Caroline Audibert | 27 de maio de 2013 at 14:00 | Responder

    Flávia! Que sincero e que vitorioso!!! Acredito que o segredo de tudo está na busca do Ideal pensado por Deus para nós e na nossa sinceridade conosco! É preciso muita coragem para assumir uma missão, reconhecer erros e começar de novo! Mas é assim que chegamos à santidade! É assim que alcançamos nossos sonhos!
    Te admiro muito! Por tudo que passou e venceu! E me alegro com suas conquistas!!!!
    O mundo nos cobra decisões antes de estarmos preparados! Isso é parte do mecanicismo! Te vejo tendo sucesso em qualquer área que seguir! Pois vc tem paixão e competência!! Agradeço por essa contribuição à jufem, pois acredito que muitas pessoas possam ou já passaram por situações semelhantes.
    bjoss

  6. Olá! Linda história! É isso aí, precisamos sempre silenciar para ouvir o

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.


*