Ideal Pessoal: “SERVIAM” (Quero servir!)

Data de Nascimento: 11/09/1891

Data de Falecimento: 11/06/1930

Gertraud Von Bullion é a primeira mulher a ingressar ao Movimento de Schoenstatt. Vinda de uma família nobre, da alta burguesia, a condessa nascida para governar decide-se pelo servir: seu caminho de auto realização no amor a Deus e ao próximo. Dotada de grande talento musical e capacidade de liderança, destaca-se em sua atuação na Cruz Vermelha nos tempos da Primeira Guerra Mundial.

Nascida em 11 de setembro de 1891, em Würzburg/Alemanha, desde a infância já se manifesta nela uma inclinação clara para piedade. Desde a Primeira Comunhão ficou sempre vivo nela o anseio por uma entrega total a Deus.

Após concluir seus estudos, logo tem início a Primeira Guerra Mundial. Em agosto de 1914 já se inscrevia como voluntária na Cruz Vermelha, para consagrar à pátria suas forças como enfermeira de guerra. Filha de militar, seu pai e irmãos eram oficiais, logo ela também queria servir seu país de alguma forma.

Como enfermeira, destaca-se não apenas pela sua atuação junto aos doentes, mas principalmente por sua preocupação na evangelização. Por sua aptidão com a música, torna-se responsável por conduzir um coral para cantar nas celebrações religiosas, cuida das liturgias e também de garantir aos doentes que recebam os sacramentos.

E é assim, que em meio à guerra e a tentativa de manter a fé de todos viva que conhece o Movimento de Schoenstatt. Entre os cantores do coral que organizou, estava Franz Xaver Salzhuber, clérigo dos Pallotinos. O congregado foi quem lhe apresentou o Movimento e sua espiritualidade.

O objetivo de Schoenstatt, de empenhar-se na “renovação religiosa-moral do mundo” tocou-a profundamente. O apelo ao heroísmo também encontrou forte ressonância na alma de Gertraud. Ela mantém contato com o irmão Salzhuber e passa a receber a revista MTA. Com o fim da guerra, em 1919 a organização externa da Congregação se formava, o congresso de Hoerde e a fundação da União Apostólica e, posteriormente, da Liga. Mas ainda não haviam mulheres na Obra.

Por seu pedido insistente, no início de 1920 é admitida a Liga Apostólica com o encargo de conquistar outras mulheres para Schoenstatt. Gertraud é a primeira mulher a ingressar no Movimento Apostólico de Schoenstatt, tornando-se cofundadora da coluna feminina. Em junho conquista sua prima Maria Christmann para o Movimento. O “grupo” de duas integrantes trabalhou até outubro de 1920, e já visavam o ingresso na União. Selam a Aliança de Amor em 8 de dezembro de 1920, tornando-se o ato de fundação da União Apostólica Feminina de Schoenstatt.

Enquanto dedicou todas as suas forças, como enfermeira da Cruz Vermelha, aos feridos e doentes nos campos de batalha, ela contraiu tuberculose. No final de sua vida, debilitada fisicamente, ofereceu em silêncio seu sofrimento e sua dor para o pleno florescimento da Obra de Schoenstatt. Morreu em 11 de junho de 1930. Gertraud teve uma vida, breve, morreu aos 38 anos. Mesmo assim, sua história fica marcada por sua personalidade forte, disposição no servir, amor a Deus e entrega a Schoenstatt. Serviam (quero servir) é a divisa régia que mandou gravar a condessa na medalha de Maria que, após a promessa, ela recebeu ao ser admitida na Congregação Mariana.

*Informações bibliográficas retiradas do livro: Gertruad Von Bullion – Serviam, Resposta de Amor. Autor Nikolaus Lauer.